Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Rapariga do Vestido Amarelo

Tudo é comunicação...

Sempre me disseram, ou pelo menos desde que estudo Relações Públicas, que tudo é comunicação. Não há não comunicação. E também é um bocadinho por isso, que não podemos dizer que o Pai Natal ou o Coelho da Páscoa não existam. Porque para isso teríamos de contrariar essa personagem alimentada pelas marcas aos olhos dos mais pequenos. Eu confesso que não me lembro sequer se em algum momento acreditei no Pai Natal. Aliás, segundo a minha mãe, para além de não acreditar propriamente na personagem do Pai Natal, também não lhe achava grande piada porque fugia a sete pés.

 

Contudo, e voltando à questão das marcas "usarem" o Pai Natal, a Coca Cola é aquele que tira o melhor partido de toda a quadra natalícia. Ou não fosse a marca, a principal responsável pelo vestuário vermelho da personagem, já que originalmente seria verde. Tudo isto também para dizer que mais do que uma personagem, o senhor de barbas brancas é uma imagem muito forte que é utilizada pelas marcas. É uma personagem que não foi criada pelas marcas, mas tem vindo a ser alimentada e é, por isso, das figuras mais associadas a esta quadra festiva. O próprio nome da personagem torna implícita toda esta ligação, porque na realidade o seu nome seria apenas Santa Claus, quando por cá falamos em Pai Natal. 

 

O Pai Natal é então uma personagem, um homem, que nunca será esquecido. Aliás, manter-se-á imortalizado graças à comunicação que é feita pelas marcas.

 

painatal_cocacola.jpg

 

Curiosidades sobre o Pai Natal: Grego nascido no ano 270 na região de Patara, situada atualmente no sudoeste da Turquia // Nicolau oferecia secretamente moedas de ouro aos mais carenciados de Mira (paralelismo com a troca de presentes) // Deixava as moedas nos sapatos e meias das pessoas (meia de Natal)